quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

"A Burrice Culpada" de Paulo Sant´Ana e resposta

Publicação referindo-se ao crime de um PIt bull contra um menino de Capão da Canoa.



PAULO SANT’ANA - A burrice culpada
Não sei de onde veio esta tese imbecil de que os pitbulls e os rottweilers são frutos de seus donos.

A tese burra atribui ao tratamento que o dono das feras dão a elas os crimes hediondos que elas cometem.

Esquece-se a tese estapafúrdia que centenas de pitbulls e rottweilers foram otimamente tratados por seus donos, que lhes dedicaram carinho, atenção e excelentes rações – e mesmo assim essas feras estraçalharam crianças e idosos entre nós.

Eu já expliquei até a exaustão que o caráter genético dos pitbulls e rottweilers manda matar.

Mas isso não entra nos raciocínios estreitos dos néscios.

E eu provo isso com fatos: 99% das pessoas que foram estraçalhadas até a morte por cães, entre nós, foram devorados por animais das raças pitbull e rottweiler. Apenas um por cento das vítimas humanas dessas feras foi morto por cães da raça fila.

Mas não basta essa estatística para convencer a imbecilidade?

O que eu pretendo com este meu discurso inútil é “dessocializar” os pitbulls e rottweilers: ou seja, retirá-los do convívio humano. Para evitar as mortes que vão continuar acontecendo.

Os imbecis parecem não se comover com as centenas de mortes de pessoas nas garras e nas presas dessas feras. É uma morte cruciante a que sofrem estas vítimas. Mas os idiotas parecem desconhecer isso. E vêm com teses que confortam os assassinatos, em vez de reprimi-los.

Mas os inocentes úteis que atiram ao léu essas teses desprezíveis de que os cães são reflexos de seus donos deveriam ser submetidos ao teste de passarem três noites dormindo ao lado de um pitbull ou de um rottweiler. Aí é que eu queria ver eles continuarem a se aventurar nessa tese absurda de que o cão reflete o dono. Eu queria vê-los convivendo com as feras. Então nunca mais diriam essas bobagens.

Criar pitbull ou rottweiler é o mesmo que criar cascavéis em um serpentário doméstico: a qualquer momento a cobra vai picar e vai injetar seu veneno em suas vítimas.

Só falta agora a imbecilidade vir dizer que as serpentes são reflexos de seus donos. Ora, vão plantar batatas!

Ainda bem que 90% das pessoas com quem eu falo têm-me dito que é preciso depressa acabar com o convívio entre essas feras e os humanos. 90%!

Não estou com isso inocentando os donos desses cães assassinos. Pelo contrário, eles deveriam sentar no banco dos réus como coautores desse genocídio. Quem cria ou mantém um cão assassino desses em suas casas, sabendo que dali a pouco ele vai estraçalhar uma criança, é culpado máximo desse homicídio.

Como também teimam em aparecer outros culpados dessa carnificina: agora mesmo estão aparecendo os idiotas que afirmam que os cães são frutos do comportamento de seus donos.

É muita burrice. Burrice culpada!

----- Original Message -----
From: Carlos Augusto Ramos carlosyara.ramos@gmail.com
To: paulo.santana@zerohora.com.br
Cc:
Sent: Sex 17/02/12 17:26
Subject: Fwd: Cães Assassinos - Coluna de ZH de Paulo Santana


Prezado sr. Paulo Santana,

Como milhares no RS inicio a leitura de ZH pela sua coluna, pois é de todos reconhecida, a forma fácil e direta com que o sr. aborda os mais variados assuntos, sendo muitas vezes o seu texto, o unico meio, pelo qual vários setores oprimidos de nossa sociedade vislumbram ver suas angustias e inquietações atingirem os mais altos escalões de decisão, de empresas à governos, pois lá também o sr. tem seus leitores.

Porém, reconhecer seus méritos, que são muitos, não significa concordar com tudo que o sr. aborda diariamente em Zero Hora.

Há o seu direito de emitir a opinião e é isso que nós, leitores, esperamos; mas, um cronista com a sua penetração na sociedade deve também ter a responsabilidade, de não ser um detonador de preconceitos e de injustiças muito grandes e de dificil reparação posterior, principalmente contra animais já tão desrespeitados em seus direitos, que não precisam que venha alguém, de um nível intelectual elevado, de quem se esperava uma postura mais equilibrada, disparar impropérios (tais como: raça amaldiçoada, assassinos), além de praticamente incitar a população ao exterminio e ao abuso contra os direitos animais com um discurso que prega pérolas como: não pode nascer, tem que sacrificar, pesadelo em forma de holocausto, etc...

É, a meu ver, o caso de sua coluna de ZH de 16/02/12, com o título "Cães Assassinos", abordando a tragédia ocorrida em capão, tendo como vitímas um menino de 5 anos e um cão da raça pitbull, cruzado com Rottweiller.

Começa pelo título, que foi muito infeliz, senão vejamos: A palavra assassino é substantivo masculino que significa "Aquele que mata com premeditação ou à traição" ou "aquele que tira a vida de outrem intencionalmente".

Cães, como qualquer animal não humano (sim, eu e o senhor também somos animais, lamento informá-lo...) agem por instinto, logo, é injustificado o epíteto de assassino a um animal, seja qual for.

Eu, o senhor, a humanidade, todos nós temos a possibilidade de virmos a nos tornar assassinos, pois só nós, animais humanos somos capazes de matar com premeditação, à traição, tirando a vida de alguém intencionalmente.

Todo ser humano é um assassino em potencial, um animal de outra raça não.

A simples aplicação dessa palavra a um animal, expressa em sua coluna, que é lida por milhares de pessoas, muitas delas de inteligência menos do que mediana, já configura em si uma forma sórdida de espalhar mais preconceito contra uma das raças de animais mais abandonadas, mal-tratadas e vtíma de crueldades nos dias atuais, que é o cão da raça pitbull.

Antes eram os dobermans, depois os rotweillers, hoje os pitbulls. amanhã quais serão ??????

O problema não são os cães dessas raças, o problema é o ser humano, que faz o que quer das demais espécies, brinca, cruza-as, torna-as bravas até não mais poder..

É o ser humano, que pelo simples prazer de externar suas taras, seus instintos mais baixos e primitivos, sua violência e instinto assassinos intrinsecos, brinca com os animais, os desrespeita em seus direitos e, um dia, quando perde o controle e premido pela hipocrisia da sociedade, os elimina, simplesmente, como lixo, e daí começa a investir em novos cruzamentos e novas raças e o ciclo recomeça indefinidamente.

O problema é o homem, não o cão.

Esse é apenas instrumento usado sem pedir, é a maior vitíma de todos esses lamentáveis episódios, pois é incapaz de fazer mal, só age por instinto, segundo sua espécie.

Tenho certeza que o abandono e a crueldade contra esses animais vai aumentar em grande proporção somente por essa repercussão equivocada, preconceituosa e desinformada que o senhor, infelizmente, nos brindou no dia de ontem.

Sendo assim, em defesa dos pitbulls e animais em geral, reponho as coisas no seu devido lugar:

Cães ou quaiquer animais não podem ser chamados de assassinos, pelo simples e acaciano fato de que agem por puro instinto.

Humanos é que podem ser taxados de assassinos, pois esses tem raciocínio lógico e podem matar com premeditação, à traição. E isso não é mera opinião de minha parte, é fato cientifíco comprovado....simples assim.

Seguem algumas informaçõeso sobre a raça pitbull:

O cão da raça pitbull surgiu na Inglaterra no século XVII, pelo cruzamento de várias raças, para obtenção de um cão para ser usado em combate contra ursos e touros, unicamente com o objetivo de divertir pessoas (Chamo isso de sadismo, sentimento/comportamento só atribuível aoanimal humano - Vários assassinos da história, foram sadicos).

Deveriam, para isso, ser muito fortes, ágeis e resistentes à dor.

Com a pressão popular (havia protetores dos animais à época), o governo britânico proibiu esses tristes espetáculos de boçais (A boçalidade é outra característica que só pode ser atribuída ao animal humano - Muitos assassinos são boçais); porém, passaram a usar os pitbulls em rinhas e combates de cães, onde deveriam lutar até a morte (O gosto por sangue alheio, desvio de caráter, crueldade e desrespeito total à outras formas de vida, mais quatro características, só atribuíveis à animais de nossa espécie-humana e todos são desvios comuns de vários tipos de assassinos).

O pitbull é um dos cães mais fiéis ao seu dono, não tendo dificuldade de sacrificar a sua própria vida, lutando até a morte para defendê-lo (lealdade sem limites e sem concessões, característica rara entre animais humanos, mas muito comum, entre cães, notadamente da raça pitbull). Não é à toa que hoje há muitos empresários que tem pitbulls socializados e adestrados como mais uma forma de inibição de sequestradores.

Na reportagem sobre o triste episódio le-se que o pitbull foi morto depois que já havia largado o menino. Se isso é verdade, pergunto ao sr.., quem é o assassino, o cão pitbull, animal territorial que age por mero instinto, ou o humano matador, que já tinha a situação dominada (inclusive o protocolo médico recomenda que se mantenha o animal em observação, para ver se não está hidrófobo) ??????

Vamos supor que o menino tivesse sido vitíma de um homem com um revólver ou faca e que depois de dominado o agressor, no caminho para a delegacia, a autoridade policial resolvesse matá-lo ???? Isso seria aceitável ???? É obvio que não. Por que então no caso do animal, ele foi morto e ficou tudo por isso mesmo, por ser um simples cão ????

Veja, o cão estava preso, em um pátio de muro alto, nos fundos do terreno. Não é esclarecido na reportagem se ele estava preso em uma corrente ou corda (Segundo sua informação, era uma corda de nylon), mas não importa, o fato é que ele não se soltou do objeto que o prendia para pegar a vitíma, foi esta quem aproximou-se perigosamente. Como um animal territorialista, atacou o menino.

O motivo pelo qual crianças pequenas são atacadas frequentemente por pitbulls, num percentual muitos níveis acima de um adulto, deve-se ao fato de que eles veem a criança como se fosse um cão invadindo seu território, devido ao tamanho que é quase o seu.


Conheço várias pessoas que tem pitbulls e os animais são doceis, carinhosos, como qualquer outro, além de serem excelentes cães de guarda, pois ninguém ousa invadir seu território, agora, exigem-se cuidados quanto a outros animais no pátio (embora conheça aqueles que convivem inclusive com gatos), crianças pequenas e principalmente quanto ao temperamento e caráter de seu dono, essa é a chave da questão na grande maioria das vezes.

Nos casos que conheço e que citei acima nunca ouvi alguma coisa que desabonasse o comportamento dos cães.

Em muitos casos, os pitbulls são os cães preferidos por desequilibrados de todo o tipo, pessoas violentas, com instintos assassinos, que pegam um animal como este à fim de exercerem todas as suas taras e aí exacerbam o instinto natural do cão através de castigos fisícos, supressão de comida, de água, corte da ponta das orelhas, deixando o animal com o canal auditivo sempre alerta, o que machuca e causa irritabilidade ao cão. Daí, quando acontece um acidente como esse, vem o sr. e condena o cão, não o humano (o verdadeiro assassino, o unico capaz de fazer algum mal a outrem de forma deliberada), que é o verdadeiro e unico vilão da história.

Em relação ao numero de pitbulls que existem sendo maltratados nas mãos de humanos sem nenhum preparo e caráter, sendo criados para tornarem-se armas letais, deveria haver muito mais casos de acidentes, além daqueles que ouvimos na mídia, o que pode ser um indicio de que, quando tratados de forma correta e por pessoas equilibradas, com as condições e cuidados necessários, sendo socializados, etc.., são tão bons companheiros como qualquer cão.

Quanto ao seu comentário de que gostaria de assistir ao congresso carnal entre um pitbull e um rottwailler, tentanddo fazer uma piadinha sobre os carinhos que um faria ao outro, saiba que não teve graça nenhuma, na verdade foi um comentário infeliz, chulo, de mau gosto, grosseiro e de muito baixo nível, que não faz justiça a sua inteligência e talento.

No mais, espero que o sr venha à publico admitir que errou (Apesar de sua auto propalada megalomania) e tentar focar nos verdadeiros culpados de tão lamentável episódio.

Atenciosamente,

Carlos A. A. Ramos


3 comentários:

por LOURDES SPRENGER disse...

O artigo do Paulo Santana de hoje, na ZH foi agressivo e demonstra que está focado num pensamento e não compactua com os experts na área de comportamento animal que são os Veterinários especializados. De onde saiu a estatistica que foi apresentada no artigo do jornalista? Embrulhou tudo e defende que os animais são os grande culpados pelos agravos. Para a solução, desde o nascimento devem ser identificados pelo criador e ao serem vendidos ou doados que também seja identificado o novo responsável destes animais de grande porte e ainda as devidas orientações de guarda responsável para quem ficar com a tutela

vanessa disse...

então você acha normal que os cães ajam por puro instinto e continuem matando? não interessa como o cachorro vê uma criança, isso não serve como desculpa ou mera explicação dos fatos. Uma criança foi morta. Você acha que a criança tinha intenção de ser atacada? Ela também não agiu intencionalmente.
E estes exemplos "eu conheço cachorros desta raça e são doceis" é incabível, ou você acha que este animal que atacou a criança um dia também não foi docil? Se o dono achasse que seu cão não era docil, ja teria feito algo a respeito, não acha? quem garante que os doceis de hoje não serão os que atacarão amanhã? Você coloca a culpa no ser humano. Mas não dá nenhuma solução para o caso. Falar que o cachorro agiu por instinto não vai fazer a vida da criança voltar. Agora porque os seres humanos criaram esta raça para ser agressiva e atacar ursos, significa que a população merece ser morta pelos cães?

Tânia Monteiro disse...

Nem o animal nem a criança têm culpa de nada. Acho uma piada às pessoas que estão sempre a julgar os animais.PENSEM um bocado e coloquem-se na pele deles... todos os animais têm um sistema nervoso central tal como os humanos e sofrem demasiado pelos actos irresponsáveis e cruéis destes. Já paraste para pensar que o cão podia ter atacado a criança por ter um tipo de trauma... Os cães muitas vezes tem problemas derivados da infância que viveram, ou são mal tratados, ou abandonados ... e os humanos por não lhes darem um mínimo de atenção não percebem isso e não fazem nada para os tratar, depois dá nisto. Quero ver o que é que os humanos fazem sem os animais. E hoje em dia alguns pais não têm responsabilidade para tomar conta de uma criança.