quarta-feira, 14 de março de 2012

Sem dinheiro, dono pode perder cão que impediu família de entrar em casa - São Sepe/RS.

A construção de um canil que custa cerca de R$ 500 é o que impede o cachorro Urso de voltar ao convívio com o dono. O cachorro é o mesmo que impediu a família de entrar em casa, em São Sepé, no centro do Estado.

Eletricista Vanilton Benites cria o cachorro desde as primeiras semanas de vida Foto: Luís Garcia / Divulgação

A relação de amizade entre Urso e o dono comove funcionários do Centro de Controle de Zoonoses de São Sepé, onde o cão está recluso há 21 dias, depois do incidente, em fevereiro. Resultado da cruza entre uma mãe pitbull e um pai rottweiler, Urso foi criado desde as primeiras semanas de vida pelo eletricista Vanilton Benites, 54 anos. Em três anos de vida, o cão nunca causou ameaça alguma. O problema só surgiu quando Benites foi trabalhar em uma empresa de Santa Maria. Longe do dono, Urso ficou agressivo, soltou-se da coleira e virou uma ameaça para a família e a vizinhança do bairro Kurtz, em São Sepé. Com medo do animal, a irmã de Benites trancou o cachorro na residência da mãe deles. O caso ganhou repercussão e o animal acabou levado para o abrigo, onde está sendo acompanhado por adestradores e veterinários. Foi aí que a amizade entre Benites e Urso passou a chamar ainda mais a atenção. Com frequência, Benites percorre a pé, ou com uma bicicleta emprestada por amigos, uma distância de quase três quilômetros para visitar o cachorro. A agressividade de Urso se desfaz quando ele vê o dono. O animal pula, brinca e se refestela – praticamente incorporando a doçura de um poodle. — Quando ele não pode vir, liga para saber sobre o cachorro. É bonito ver a relação deles e a transformação do Urso quando o dono chega. Vira outro cachorro. Nem de perto é aquele cão agressivo que assustava a família — conta Claudia dos Santos, coordenadora do canil. — Quando fui lá pela primeira vez os tratadores me perguntaram se eu tinha coragem de entrar no canil onde ele tava. Disse que sim. Como não entraria? O cachorro é meu desde pequeno. Está acostumado comigo — relembra Benites. O reencontro definitivo só não acontece devido à falta de condições na residência da família. Para liberar o retorno do cachorro, Claudia exige um canil adequado. A estrutura proporcionaria conforto a Urso, além da garantia de que ele não se tornasse uma ameaça aos moradores. — Eu tenho um espaço no fundo do pátio, com sombra de uma árvore, onde poderia construir o canil. Mas mesmo com o preço mais baixo que consegui em alguns materiais, sairia em torno de R$ 500. Não tenho esse dinheiro — afirma o dono do animal. Se não puder retornar para casa, Urso pode, até mesmo, ir parar em um presídio do Estado. — Já liguei para mais de cem presídios e penitenciárias para que o Urso integre os canis desses locais, sendo usado na guarda. Mas os espaços também estão todos cheios. Se o dono não conseguir levá-lo, vai ter que ir ficando por aqui, até que a gente encontre um destino para o Urso — explica Claudia. A situação de Urso Recluso há 21 dias no Centro de Controle de Zoonoses de São Sepé, o cão está sendo acompanhado por adestradores e veterinários. Urso só retornará para casa se um canil for construído, garantindo o conforto do animal e a segurança da família e dos vizinhos. Caso retorne para casa, Urso será acompanhado periodicamente por veterinários e adestradores. Se voltar a ameaçar devido à agressividade, será recolhido novamente. Se o dono de Urso não conseguir o resgatar devido à falta de condições para abrigar o animal, ele será destinado para adoção. Um destino provável são presídios que utilizam cães de raças mais agressivas na segurança dos pátios. Roberto Witter roberto.witter@zerohora.com.br

3 comentários:

por LOURDES SPRENGER disse...

Se for somente a construção de um canil certamente a rede de proteção animal não deixará que o Urso seja doado e/ou encaminhado para presidios e retornará ao lar aonde foi criado e conforme a noticia se transformou quando o responsável foi prestar serviços fora da cidade.Telefone da Prefeitura de São Sepé: 55 32331742.
Os profissionais do CCZ de São Sepé demonstraram dedicação e estão dando um bom tratamento ao Urso. É isto que se espera de todos os gestores em relação aos animais que são tão desprotegidos.

por LOURDES SPRENGER disse...

Se for somente a construção de um canil certamente a rede de proteção animal não deixará que o Urso seja doado e/ou encaminhado para presidios e retornará ao lar aonde foi criado e conforme a noticia se transformou quando o responsável foi prestar serviços fora da cidade.Telefone da Prefeitura de São Sepé: 55 32331742.
Os profissionais do CCZ de São Sepé demonstraram dedicação e estão dando um bom tratamento ao Urso. É isto que se espera de todos os gestores em relação aos animais que são tão desprotegidos.

Vereda Academia disse...

Olá tudo bom?
Somos da Fundamento Comunicação Corporativa, agência Digital da Ouro Fino saúde aninal. Essa divisão inclui uma área voltada especificamente para o público pet. Para potencializar a exposição e a credibilidade da marca junto ao público, foi desenvolvido um simpático animal: Byte!

Na página ter dicas de cuidado, vídeos e fotos engraçadas além da posse responsavel de um animal e adoções! Achamos importante sempre divulgar cachorros e gatos que estão para adoção!
Estou entrando em contato com você pois vejo o quanto gosta de animais, e o quanto se preocupa com que todos eles tenham uma casinha e uma família! Quanto maior a divulgação mais pessoas tem conhecimento dos animais e mais chance de serem adotados!

Fique ligado, compartilhe, comente e curta sempre que quiser:
http://www.facebook.com/pages/Byte-AmigoPet/251344344955091

Obrigado