quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Hospital de Urgências de Goiânia registra mais de 14 agressões caninas por mês

Hugo Hospital de Urgências de Goiânia

O Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) registra mais de 14 agressões caninas por mês. Até ontem, 127 vítimas já foram hospitalizadas depois de sofrerem mordidas destes animais. No último domingo, uma criança de seis anos e outra de três foram agredidas por um cão da raça rottweiler. O cão mordeu o rosto do mais velho, que chegou a ser submetido à cirurgia de reconstituição. O garoto de três anos teve escoriações no rosto, costelas e também nas costas.


De acordo com a mãe deles, Ana Cristina Melo dos Anjos, o rottweiler convivia com os meninos há vários anos, no mesmo quintal. “Ele ficava no lote. Eu já havia alertado ao dono que ele poderia morder meus filhos. Ele não fez nada”, afirma Ana Cristina. O cão, que pertence a Elias Alves da Silva, foi encaminhado ao Centro de Controle de Zoonoses de Goiânia. “O dono tem dez dias para reclamar o animal; caso não o faça, o Centro vai submetê-lo à eutanásia, uma vez que ele não tem perfil para adoção”, afirma o diretor do Centro de Zoonoses, Geraldo Rosa.

Ana Cristina diz que saiu para trabalhar e uma babá ficou cuidando dos menores. Ao retornar, se deparou com o cachorro atacando as crianças.

“Eles não estavam sozinhos. Mas, pelo que me falaram, ele arrebentou a corrente e pulou em cima dos meus filhos. Os vizinhos se atracaram com o cachorro, e meus filhos só estão vivos porque a gente chegou na hora”, afirma a mãe. A reportagem do Diário da Manhã procurou o dono do animal ontem, no Jardim Liberdade, mas ninguém atendeu aos repórteres na residência.

Maioria
Os dados da Seção de Arquivos Médicos e Estatísticas do Hospital de Urgências de Goiânia (Same/Hugo) mostram que mais de 90% das internações provocadas pelos animais são atribuídas aos cães. Cavalos, gatos e animais aquáticos correspondem a 7,68% do total. Este mês, o Hospital de Urgências de Goiânia já contabiliza 12 ocorrências. Em setembro, 10 pessoas foram atacadas por cães. O recorde deste ano aconteceu no mês de janeiro, que registrou 21 internações.

Ano passado, 312 vítimas foram encaminhadas à unidade de Saúde após serem agredidas, em sua maioria, por cães de grande porte, como os das raças pitbull e rottwailler. O número representa média mensal de 26 agressões, o que equivale a 0,85 caso por dia.
João Paulo Teixeira
Da editoria de Política & Justiça

Um comentário:

LOURDES SPRENGER, Apoiadora da Causa Animal disse...

Desde quando entendi porque temos tantos animais perambulando pelas ruas, maltratados, acidentados, doentes e famintos, não restou dúvida que a esterilização e a posse responsável são os programas que solucionarão estes casos.
E ainda, o Poder Público economizaria ao controlar a população de animais domésticos também pelos casos de atendimentos e internações hospitalares decorrentes de ataques e mordidas destes animais.