terça-feira, 10 de março de 2009

Produto Injetável Infertile substitui a castração cirúrgica e esteriliza os cães machos com eficiência- São Paulo

Produto favorece esterilização canina

A castração cirúrgica não é mais a única alternativa para o controle da população de cães machos. Está chegando ao mercado Infertile, um método humanitário, eficaz e permanente de esterilização, de baixo custo e inédito no Brasil.


O produto foi desenvolvido no País, e agora é comercializado pelo Centro de Planejamento de Natalidade Animal (CPNA), instituição com sede em São Paulo focada na realização de campanhas de esterilização e vacinação de pequenos animais. Infertile é à base de zinco, injetável e somente indicada para cães machos.

O produto proporciona menos riscos aos animais e representa um método de esterilização química permanente, a partir da aplicação intratesticular (uma dose em cada testículo). Estimativas de órgãos envolvidos com cuidados animais indicam que apenas 10% dos cães sem dono sob cuidados de ONGs e dos Centros de Controle de Zoonoses (CCZ) são adotados. Além disso, estimativas apontam que é preciso esterilizar 70% dessa população canina de rua para controlar o seu crescimento desordenado. “Infertile é a resposta do CPNA para o controle da superpopulação de cães machos abandonados e sem dono, um problema de saúde pública de enormes proporções”, diz Debbie Hirst, do Centro de Planejamento de Natalidade Animal.

Testes feitos com grupos de cães comprovam que Infertile apresenta 99,6% de eficácia com a aplicação de duas doses. Além de proporcionar resultados seguros, o produto custa menos de 20% do valor médio cobrado pela castração cirúrgica. Sem contar que é um método muito menos invasivo e menos arriscado para o cão.

Produto similar

Os estudos conduzidos para a viabilização do produto Infertile no Brasil demandaram seis anos de pesquisa e o CPNA fará também o anúncio do início do desenvolvimento de um produto similar para fêmeas.

“Estamos apresentando Infertile como uma alternativa à esterilização cirúrgica, entendendo que a reprodução descontrolada é um problema mundial, somente controlada até o momento com a castração cirúrgica e o sacrifício”, explica Maria José Simões de Freitas, médica veterinária e Diretora do CPNA, apostando na eficácia do produto.

Fonte:Diário do Nordeste

2 comentários:

LOURDES SPRENGER, Apoiadora da Causa Animal disse...

----- Original Message -----
From: Sandra
ToSent: Thursday, March 05, 2009 7:01 PM
Subject: RES: SP :DRA.AMÉLIA comenta lançamento Infertile Esterilização química/


Eu fui no lançamento. Realmente estavam lá vários nomes da proteção animal, o representante do laboratório que o produzirá, etc, etc, etc.

Eu fiquei na verdade preocupada,pois infelizmente sou minoria de protetores que reúne o mínimo de condição financeira para fazer castrações seguras, com bons produtos, uso de malhas cirúrgicas, antibióticos e antiinflamatórios, etc, etc, etc.

Pensei na maioria de protetores que imploram por comida para seus bichos....de repente vão sair aí dando essa injeção e achando que o problema está resolvido....Sinceramente fiquei com medo.... qualquer corpo estranho no organismo o mesmo tenta expulsa-lo, e se der uma infecção, o animal vai estar perambulando pelas ruas, ninguém vai se preocupar do mesmo jeito....

Ai cara, eu não vi isso como a invenção da roda não.

Você sabe a experiência que tenho com doação, castração, médicos veterinários, tudo a gente tem que ficar esperta, nada é milagre, tudo custa dinheiro, eu por hora vou continuar castrando no método convencional, inclusive meus bichos são castrados assim, e o que faria com os da rua e favelas, naturalmente faria com os meus, pois os amo igualmente....

Este é meu relato, resumindo, estou preocupada com isso.

Tem protetores também que são ingênuos, sem conhecimento, vai acabar se metendo em mais problemas.

Eu continuo sem dormir porcausa de bichos.

LOURDES SPRENGER, Apoiadora da Causa Animal disse...

----- Original Message -----
From: Roberta Palmari
To: Roberta Palmari
Sent: Friday, March 06, 2009 5:33 PM
Subject: INFERTILE (esterilizante não cirurgico): CRMV-SP VAI AGIR


Amigas, amigos,


Após ser solicitado através de um documento (na íntegra, no anexo), o presidente do CRMV-SP, DR. FRANCISCO CAVALCANTI DE ALMEIDA, revelou-se disposto a abrir um amplo debate de esclarecimentos a respeito do INFERTILE, esterlizante químico recém lançado e que vem provocando grandes dúvidas no meio da proteção animal e, mesmo, entre médicos veterinários. O encontro deve ser marcado para os próximos dias, afirmou Francisco Cavalcanti. O CRMV-SP também promete fazer gestões junto ao Ministério da Agricultura para obter maiores informações relativas aos protocolos utilizados durante o trâmite de registro do esterilizante químico.


O documento enviado ao CRMV, assinado por ONGs, médicos veterinários e protetores independentes, solicita que este Conselho promova uma ampla discussão sobre o INFERTILE, pois até agora os fabricantes nao conseguiram convencer o movimento de proteção animal que este esterilizante químico realmente nao provoca efeitos colaterais a médio e longo prazos.


No documento, os signatários pedem ainda que o presidente do CRMV-SP, órgão que reune perto de 25 mil médicos-veterinários no Estado de Sao Paulo, provoque o Ministério da Agricultura visando tornar públicos os protocolos utilizados para registro do produto e liberação do uso em todo o território nacional do esterilizante químico INFERTILE.


O lançamento oficial do INFERTILE aconteceu no último dia 3 de março, em Sao Paulo , em um evento que deixou mais dúvidas do que esclarecimentos para todos os presentes. Os médicos veterinários responsáveis pela formulação fizeram uma breve explanação durante a solenidade e revelaram que os testes foram realizados num grupo de 29 cães, sendo que destes somente 11 receberam a fórmula na dosagem colocada no mercado.


Assim, sugerimos às ONGs localizadas em outros Estados, que também solicitem aos respectivos CRMVs a realização de amplas discussões relativas ao INFERTILE, pois a intenção dos fabricantes é que o produto seja usado em larga escala no País.


ABRAÇO,


Regina Macedo
jornalista ambiental
Sao Paulo / SP
reginamacedo@terra.com.br